Sobre ser solteira, independente, sem ser lésbica

Não são todas as pessoas que estão preparadas para mulheres solteiras e independentes. Especialmente na Bahia, ainda mais numa cidade pequena como Itacaré. Depois que decidi ficar por aqui, comecei a notar certa curiosidade das pessoas em saber da onde eu era e porque estava querendo morar ali.

Quando as pessoas começaram a perceber que eu estava sozinha, não tinha filhos e estava abrindo um negócio, começaram a pensar que eu tinha um caso com algum gringo rico que me bancava. Afinal, onde já se viu isso? Uma mulher sozinha e independente financeiramente??

hostel brumundando

Depois que perceberam que não tinha gringo nenhum e que na verdade eu era solteira mesmo, o discurso virou outro. Sempre quando ia fazer orçamento ou comprar algo, eu dizia que ia mostrar para minhas irmãs e aí voltava (precisava de uma ajuda né).

Automaticamente essas “irmãs” se tornaram minha namorada na imaginação fértil das pessoas que não estão acostumadas a verem uma mulher decidida, independente e solteira.

Pois bem, depois de uns 3 meses morando em Itacaré descubro que minha “fama” na cidade é de lésbica. Nunca me viram na cidade com ninguém, eu mesmo lixo as paredes, pinto e ajudo o pedreiro, e de quebra pergunto tudo para minha “irmã”.

“Pronto… está explicado, essa mulher aí é sapatona”

 

Ouvi isso de um amigo depois de muito insistir para saber o que dizem de mim na cidade. Se eu fiquei brava? Claro que não! Por um lado, achei engraçado até onde vai a imaginação das pessoas, mas então me dei conta dos desafios que eu enfrentaria por ser uma mulher solteira e de mente aberta numa cidade (estado) majoritariamente machista.

Depois dessa vieram tantas outras…

Cadê o maridão para passar massa corrida para você?

Eu: Onde já se viu precisar de um marido para isso? Sou solteira mesmo…

Nossa, você tem cada ideia diferente, deve ter sido casada com um homem todo doido.

Eu: Para ter ideias diferentes tenho que ter sido casada com alguém? Não posso ser criativa sozinha?

Você não leva jeito para isso, deixa que eu faço…

Eu: Ninguém nasce sabendo e a prática leva a perfeição (e foi assim que eu aprendi a usar a furadeira).

Todos os dias são novos desafios, coisas que eu não faço a mínima ideia de como fazer e aí recorro ao meu lindo Google e Youtube e pronto, pelo menos já estou inteirada do assunto.

Nunca assisti tantos tutoriais quanto agora.

Nessa nova fase da minha vida tenho descoberto um lado criativo em mim que realmente eu não conhecia. Para ser sincera me achava super sem criatividade e estou percebendo que não é bem assim.

Ou talvez  eu fosse mesmo uma pessoa não muito criativa antes de ir viajar o mundo e agora tenho diferentes talentos aflorados.. Who knows!

“Por que você não arranja um namorado para te ajudar?”  Mas que raios de pergunta é essa???

Uma relação é muitíssimo mais que isso…Como já dizia Clarice Lispector, não procure alguém que te complete. Complete a si mesmo e procure alguém que te transborde!

 

 

 

2 comentários sobre “Sobre ser solteira, independente, sem ser lésbica